Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas

Mundo vê o governo brasileiro como mentiroso na COP-26, dizem membros da Frente Indígena

quinta-feira, 11 de novembro de 2021 / Categorias: Nota

Em transmissão nas redes sociais da Liderança da Minoria da Câmara, membros da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas (FPMDDPI), afirmaram nesta quarta-feira (10) que durante a Conferência Climática das Nações Unidas, a COP 26, o governo brasileiro está sendo visto como um grande mentiroso. 

“Nessa primeira semana que estive lá, é essa impressão: há uma preocupação patente do conjunto da humanidade que acredita que precisa tomar medidas mais drásticas para enfrentar a crise climática. Mas do ponto de vista do Brasil há um descrédito do ponto de vista internacional, ninguém acredita no que o Brasil fala”, afirmou o deputado federal e coordenador da FPMDDPI, Nilto Tatto (PT-SP).

Para o deputado, a imagem do Brasil está muito ruim. Segundo ele, o país tem sido visto como um pária internacional. O deputado ressaltou que somente durante o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o país teve um aumento superior a 60% no desmatamento, se comparado aos números da última década. 

Tatto reforçou a importância da presença do “Brasil real” no evento, uma vez que o governo brasileiro apresenta uma versão mentirosa da nação para o exterior. 

O deputado federal José Ricardo (PT-AM), que também coordena a Frente Indígena, concordou com o correligionário, e disse que “o governo brasileiro não tem nada para falar, porque se falar vai ter que falar a verdade, que é um descaso geral”. 

No mesmo sentido, o secretário-geral do Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), Dione Torquato, afirmou que “o discurso e a narrativa do governo na COP é conversa para boi dormir”.

Membro da FPMDDPI e vice-presidente da Minoria, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que mediou a transmissão, afirmou que é necessário seguir na luta para que o Brasil seja corretamente representado no exterior.  “A gente espera que o Brasil oficial ainda possa representar o Brasil real”, pontuou.

Durante a COP26, diversos compromissos importantes para o futuro do planeta foram firmados. Fim do desmatamento, proteção dos povos indígenas e redução dos gases de efeito estufa foram algumas das diretrizes acordadas que devem auxiliar em um outro objetivo fundamental: limitar o aquecimento global em 1,5ºC.

Sobre a proteção dos povos indígenas, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu que o compromisso seja de fato implementado, “para as pessoas e pelo planeta”. Somente no Brasil, existem pelo menos 305 povos indígenas. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população indígena no país ultrapassa os 800 mil indivíduos, que habitam 724 terras ou reservas. Eles são responsáveis por preservar 117 milhões de hectares, o que representa quase 14% do território brasileiro, segundo a Funai.